quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

"Eu quero descobrir mais sobre os ossos'"

A R. disse na reunião da manhã que queria descobrir mais coisas sobre os ossos e perguntou quem queria fazer o projeto com ela. 

Do grupo de crianças interessadas começamos a organizar o projeto para perceber o que já pensávamos saber, o que queríamos saber e de forma a distribuir tarefas...



Começamos a pesquisar nos livros e no computador e a registar a informação recolhida...





Hoje recebemos uma visita muito  importante no decorrer deste projeto! O Omid é médico e amigo da família da R. e hoje veio falar-nos dos ossos! 





Obrigada à família da R. e ao Omid pela manhã repleta de descobertas que nos proporcionaram! 

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

A cenoura e o rabanete

A J. foi à feira com a mãe e trouxe uma cenoura e um rabanete para partilhar com os amigos.


Depois duma pequena conversa decidimos que iriamos colocar a cenoura e o rabanete na salada para o almoço e assim foi... O rabanete não podemos pôr na salada porque estava "estragado, um bichinho come o rabanete e tem um buraquinho" observou a V. 

Depois de prepararmos a cenoura para a salada a Mónica sugeriu fazermos uma experiência com o que sobrou da cenoura e do rabanete...


Assim, cortamos a rama de ambos...


Colocamos num prato com água...



e formulamos hipóteses sobre o que achávamos que ia acontecer!

Todos os dias observamos a cenoura e  rabanete para ver o que estava a acontecer...



Hoje foi dia de verificarmos as hipóteses colocadas e fazer o registo do que observamos.



quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Vamos aos bombeiros!

Na reunião da manhã o J. disse que gosta de ir ao quartel dos bombeiros e que gostava de lá ir com os amigos! 

Foi este o mote para hoje sairmos da escola e seguirmos para o Quartel dos Bombeiros de Alvalade...



Antes de chegarmos ao quartel ainda paramos para descansar e comer uma bolacha...


Chegados ao quartel encontramos o bombeiro Jorge! 



Descobrimos que os bombeiros não apagam só fogos mas também ajudam as pessoas em caso de acidente. 

Quando há um incêndio os bombeiros usam uma farda especial, capacete, luvas, botas e mascára para se protegerem. Foi então que conhecemos os bombeiros Ricardo que nos mostraram como iam vestido para combater o fogo e nos deixaram experimentar algum equipamento...




Depois fomos ver os carros dos bombeiros, descobrir que material têm e para que serve. 



Entramos no carro dos bombeiros e ouvimos a sirene...




Os bombeiros simularam ainda uma emergência: ouvimos o altifalante e depois os bombeiros desceram pela vara! 

 

Depois de perguntas e comentários foi tempo de nos despedirmos dos bombeiros e do quartel e seguirmos para a escola! 


Esta ida aos bombeiros foi igualmente uma excelente oportunidade para conhecermos melhor a comunidade onde fica a nossa escola e onde moram alguns amigos...




sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

"De onde vem a chuva?"

Na nossa lista de projeto tínhamos um projeto para descobrirmos "De onde vem a chuva?... O primeiro ciclo foi à nossa sala apresentar-nos um projeto sobre a água e explicaram-nos o ciclo da água. 

No final do projeto, a M.J. comentou "eu gostei muito do vosso projeto, vocês comunicaram muito bem mas ainda não consegui perceber muito bem de onde vem a chuva. É difícil!"

Assim, demos inicio ao nosso projeto.. Fomos descobrir no computador e em livros...


Construímos uma maqueta com as nossas descobertas...


Fizemos uma experiência...



E no final apresentamos as nossas descobertas bem como a experiência que fizemos ao grupo...




"Quem é o mais alto da sala?"

Na reunião da manhã o J. disse que queria descobrir quem era o mais alto da nossa sala..

Para descobrirmos fomos medir-nos...



Concluído o registo, fomos fazer a leitura dos dados e descobrimos quem era o mais alto e o mais baixo e quem tinha o mesmo tamanho...



Individualmente, fomos descobrir um amigo mais alto e mais baixo do que nós e registamos...



quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

O crocodilo Tic Tac

Numa reunião da manhã o J. partilhou connosco cartolinas "São cartolinas da minha mãe para nós fazermos um teatro!" 

Assim, numa tarde, juntos inventamos a história que daria origem ao teatro... Um jardim com flores e animais, um crocodilo com fome e cheio de vontade de comer todos os animais, médicos que vão tratar da dor de barriga do crocodilo e cozinheiros que lhe vão preparar uma refeição com comida saudável! 

Ideia a ideia surgiu a nossa história a que demos o titulo de "O crocodilo Tic Tac"

Escolhidas as personagens, começamos a preparar as máscaras! 



Feitas as máscaras, convidamos os amigos da nossa escola e apresentamos o nosso teatro...









No final foi tempo de ouvirmos as perguntas e comentários dos amigos que estiveram a assistir...

Começamos ainda a construir o livro para guardarmos esta história na nossa biblioteca..


Correspondência na nossa sala!

Nas férias de Natal a V. chegou do fim-de-semana com uma caixa cheia de bolinhos que a avó fez para partilhar connosco. 



Adoramos os bolinhos e para agradecermos a avó da V, resolvemos escrever uma carta...


Depois de escrevermos a carta fomos colocá-la no correio... Se na escola antiga já sabíamos onde ficava o marco do correio (aqui), desta vez, fomos explorar a comunidade e descobrimos a caixa do correio nas bombas de gasolina.


Falamos sobre as diferenças entre a caixa de correio vermelha e azul, vimos as pessoas eacolocarem combustível ou a lavar os carros, partilhamos as nossas vivências neste espaço e ficamos a conhecer melhor a comunidade que envolve a nossa escola.

Mas não é só com a avó da V. que trocamos cartas... Assim, foi tempo de irmos novamente ao correio colocarmos a carta para os nossos correspondentes de outra escola! 


Colocada a carta, voltamos para a escola e tivemos a descobrir onde o carteiro colocava as cartas caso recebêssemos alguma.. Observamos e descobrimos uma abertura no muro da escola, junto ao portão da entrada! "Acho que é aqui...!" diziam alguns, enquanto outros afirmavam com certezas ora porque tinham uma caixa de correio igual "é mesmo igual à da minha casa" ora "porque eu sei mesmo".



Fomos buscar a chave e descobrimos muitas cartas na caixa do correio...


Já na sala, vimos as cartas,  e descobrimos uma destinada a nós... Foi a avo A, avó da V. que respondeu à nossa carta...

Entusiasmados, abrimos a carta e lemos o que dizia avó...



Este tem sido um processo muito significativo e vivido por todos nós.. Desta forma, através das cartas que enviamos e recebemos vamos tomando consciência da funcionalidade da escrita no nosso dia-a-dia e da sua importância.