terça-feira, 7 de maio de 2019

"Eu tenho uma moeda de ouro!"

Na reunião da manhã o M. disse "Eu tenho  uma moeda de ouro!" com grande entusiasmo. Se alguns acharam efetivamente que era verdade outros duvidaram e disseram que aquilo não era uma moeda de ouro: "Isso é uma moeda de 2 cêntimos."

Combinamos então descobrir se era mesmo uma moeda de ouro na tarde dedicada às ciências. 

A Mónica explicou-nos que o ouro não é atraído  pelo íman.. Para verificarmos isto experimentamos com um anel de ouro e depois com outro de prata e verificamos que efetivamente não é atraido pelo íman. 

Fomos então experimentar com a moeda...


A moeda foi atraída pelo íman... Percebemos então que a moeda não é de ouro...



Afinal a moeda não era mesmo de ouro. Assim, Se não é de ouro, vamos descobrir de que material são feitas as moedas, até porque agora estamos a fazer o projeto "Porque é que o dinheiro existe?". Depois contamos as novidades...

Trouxe uma planta para a nossa sala...

O L. partilhou connosco uma planta que trouxe de casa e explicou-nos que esta planta tinha uma espécie de "cabelos" que servia para depois plantar e ter uma nova planta.

Combinamos então com a mãe do L. para nos ajudar a plantar em copinhos para levarmos para casa... 

Assim, nessa tarde, a Ana trouxe-nos mais uma planta e cada um escolheu qual a planta que queria plantar e levar para casa... 





Depois com a ajuda da Ana plantamos os coentros que os nossos correspondentes nos  enviaram para plantar... 



Quando recebemos uma sala para assistir à comunicação do nosso projeto...

Depois de fazermos a comunicação do projeto "Como é que tudo começou?", recebemos uma carta de uma sala do Pedro Arrupe para vir assistir à comunicação do nosso projeto porque também queriam saber como tinha surgido o primeiro homem. 
Combinado o dia, recebemos os amigos desta sala e comunicamos-lhes o projeto... 


Depois foi tempo de mostrar-lhes a nossa sala... 


Adoramos mostrar a nossa sala e perceber que há outras crianças, noutra escola que têm coisas iguais ou parecidas connosco! 

Depois fomos ao parque fazer um piquenique e brincar... 




Depois, a sala do Pedro Arrupe trouxe dois jogos sociais para fazermos em conjuntos... 


Este foi um momento muito significativo para todo o grupo pois sentimos o nosso envolvimento e dedicação para concretizar o projeto valorizado e reconhecido por crianças de outra escola. Para além disso, as interações e brincadeiras com crianças de outra escola foi um momento muito vivido por todos. 


"Como é que tudo começou?"

No diário a M. disse que queria fazer um projeto para saber Como é que tudo começou? À M. várias crianças do grupo se juntaram com a mesma curiosidade! Queriam descobrir como surgiu o nosso planeta e como apareceram os homens... 

Depois de percebermos o que pensamos sobre o assunto e de fazermos o levantamento do que queríamos saber, fomos à biblioteca da escola procurar livros que nos ajudassem no projeto...



O tempo em que a criança vê livros, observa as imagens e fazem a seleção da informação necessária é um momento fundamental, deste modo, é importante que o adulto proporcione um tempo de qualidade à criança, apoiando-o na leitura e na compreensão da informação. 

Selecionada a informação necessária, começamos a fazer o registo dessa mesma informação.



Terminado o projeto foi tempo de comunicar as aprendizagens à sala da Xana...

Este foi um projeto repleto de muitas descobertas! 

terça-feira, 2 de abril de 2019

A nossa cara é igual de um lado e do outro ou como é que as aprendizagens se relacionam!

No Museu Berardo a conversar com a Sara, surgiu a conversa da cor da pele, da nossa cara... Será que existe a cor de pele? Qual é a cor da pele? Depois de conversarmos percebemos que não existe a cor da pele.. Existem peles de muitas cores porque todos somos diferentes...

Assim, na sala, tiramos uma fotografia, cortamos ao meio e fizemos o desenho da nossa cara pensando nas cores que teríamos de utilizar...



No final fizemos um quadro com as nossas caras...

A M.L. perguntou ainda à Sara do Museu Berardo porque é que só tinha um brinco de um lado e a Sara explicou-nos que a nossa cara não é igual de um lado e do outro, a nossa cara não é simétrica. Assim, com a mãe do Luís, a Ana, fizemos uma experiência para perceber se a nossa cara era simétrica ou não.

Primeiro a Mónica tirou-nos uma fotografia e imprimiu em modo normal e em espelho, depois, cortamos ao meio e colamos...




Umas caras ficaram muito magrinhas e outras muito gordinhas...

Assim percebemos que a nossa cara não é simétrica! 

Depois, a Ana sugeriu ainda fazermos um quadro com as nossas caras baralhadas, ou seja, metade da cara de cada um...


E assim fizemos! Foi tão divertido...

Depois pensamos que nome poderíamos dar e combinamos fazer os nomes com a primeira silaba do nome de cada menino! 

Assim, na tarde dedicada às descobertas de escrita, fizemos este trabalho...


E assim, as descobertas da nossa sala surgem de forma significativa e com sentido para todo o grupo... 

De uma visita ao museu ao brinco na orelha, à cor da pela, a um quadro com as nossas caras, às caras simétricas e aos nomes que poderíamos dar a essas caras... tudo se relaciona de forma a que as aprendizagens sejam vividas pelo grupo! 

terça-feira, 12 de março de 2019

"O Museu é Meu"

Estamos a fazer um projeto em parceria com o Museu Berardo, às vezes recebemos a Sara, do Museu Berardo na nossa sala,  outras vezes vamos ao Museu Berardo...

Com a Sara, na nossa sala, falamos sobre museus, vimos diferentes museus que existem.. Depois imaginamos um museu, qual seria a coleção do nosso museu e quando o iríamos visitar, num dia de sol, num dia de chuva...





Já no museu, visitamos o museu, as suas obras, escrevemos palavras relacionadas com a visita.. memórias de uma visita! 




Este projeto continua com muitas ideias... vamos contando tudo! 

Querem fazer esculturas em barro?

A M. partilhou connosco uma escultura em barro que fez em casa e propôs fazermos esculturas na nossa sala. 

Antes de começarmos a fazer as esculturas, começamos por fazer o projeto do que pretendiamos fazer... 

Posteriormente, começamos a trabalhar o barro...





Depois das esculturas secarem, pintamos e preparamos as esculturas para fazermos uma exposição para o qual convidamos os pais para verem...